Desenhar o Futuro da Economia Social através do desenvolvimento de soluções inovadoras, foi o desafio que o Hackaton 100% Colaborativo propôs a todas as mentes criativas que nele participaram.

A Dá+, a Rede de Mentores Reformados, a +Social e a Joint4Impact são os projetos vencedores que receberam um prémio total de 15.000 euros e a possibilidade de implementar as soluções.

Os desafios lançados pelo Departamento de Empreendedorismo e Economia Social da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa – onde se insere a Casa do Impacto – incidiram sobre quatro áreas chave do setor: a digitalização, o futuro do trabalho, a sustentabilidade e a avaliação de impacto na Economia Social.

Esta 2º edição do Hackathon 100% Colaborativo, que este ano se realizou em formato totalmente digital, contou com 80 participantes, provenientes de várias entidades diferentes, entre colaboradores da SCML, demais Organizações da Economia Social, estudantes, recém-licenciados e membros das comunidades alumni, de onde saíram quatro projetos vencedores.

Na categoria da “Digitalização da Economia Social”, o projeto vencedor foi o Dá+, um marketplace 100% solidário para a doação de produtos e artigos para entidades da economia social e a população;

O projeto Rede de Mentores Reformados, foi o vencedor do desafio “O futuro do trabalho no setor da Economia Social”. Trata-se de um programa que recruta reformados com ampla experiência em diversas áreas de negócio que querem contribuir com as organizações sociais em pro-abono;

O vencedor do desafio “A sustentabilidade da Economia Social” foi a +Social, uma rede social para o terceiro setor para que a sociedade civil, as organizações da economia social, empresas e investidores sociais possam comunicar entre si, através de publicações de novidades do setor (ofertas de trabalho, oportunidades de voluntariado, concursos, financiamento, etc.);

Por fim, a Joint4Impact, uma plataforma que faz a avaliação de impacto de soluções, através dos Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável e o Impact Management Project, que complementa com indicadores específicos para cada área de intervenção, gerando um relatório de impacto para melhoria contínua de solução, escala e obtenção de financiamento, por exemplo, venceu a categoria “A avaliação de impacto na Economia Social”.

A maratona de duas semanas de discussão dos desafios e duas semanas de trabalho, visou o desenvolvimento de soluções para um futuro da Economia Social mais sustentável. Realizou-se num formato totalmente digital através da plataforma Taikai, onde participaram 80 pessoas de diferentes áreas de conhecimento e experiências profissionais, que compuseram as 16 equipas participantes – quatro equipas totalmente dedicadas a cada um dos quatro desafios propostos. O Hackathon consistiu em momentos de capacitação, webinars, talks, tutoriais, toolkits, mentoria e ideação. Culminou numa sessão pública de pitch na página de Facebook da Casa do Impacto onde foram anunciados os vencedores.

Como parceiros, o Hackathon 100% Colaborativo da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa conta com o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, a Cooperativa António Sérgio para a Economia Social, o Instituto do Emprego e Formação Profissional, a Estrutura de Missão Portugal Digital, o Banco Montepio, o Instituto Padre António Vieira e a Associação WACT – We Are Changing Together.

Queres estar a par de todas as novidades da Casa do Impacto, incluindo do nosso programa de eventos mensal? Subscreve a nossa newsletter e segue-nos nas redes sociais – FacebookInstagramTwitter e Linkedin.